Skip to content
Viajar Barato Pelo Mundo

A Barcelona de Gaudí: Um guia rápido.

Antoni Gaudí pode não ter sido barcelonês de nascimento (ele era de Reus, a cerca de uma hora e meia da cidade condal), mas seus prédios colocam Barcelona no mapa: as torres sobrenaturais de La Sagrada Familia, os mosaicos coloridos do Parque Güell. Hoje, as jóias menos conhecidas de seu Modernismo Catalão – o que frequentemente chamamos de Art Nouveau – se abrem a cada ano. Aqui está uma guia rápida do que ver.

Torre Bellesguard

torre _bellesguard_barcelona_europa

A Torre Bellesguard ou bela vista em português, é uma casa de família e também um castelo projetado por Gaudí. O local, no alto do rico distrito Sarrià-Sant Gervasi, com vistas panorâmicas de Barcelona, continua sendo uma das obras menos conhecidos de Gaudí: único em suas linhas retas (raro nas obras de Gaudí) e um interessante e sóbrio sótão de madeira que foge do seu  habitual uso da cores.

Palau Güell

palau_guell_barcelona_espanha_europa

Construído entre 1886 e 1890, se rumoreia que o Palau Güell é o primeiro edifício Art Nouveau do mundo. Esta casa da família Güell está escondida na Calle Nou de la Rambla, e o ambiente lá dentro é muito mais sombrio do que as obras mais recentes. Imagine vigas de madeira escura com piso e pilares de mármore cinza e um fabuloso órgão antigo que costuma ser tocado para concertos. Não deixe de visitar o terraço e deleite-se com suas 20 chaminés e pináculos de 15 metros.

A Sagrada Familia

sagrada_familia_barcelona_espanha_europa

É praticamente ilegal ir a Barcelona e não visitar La Sagrada Família, o extraordinário templo de Gaudí dedicado à Sagrada Família – commumente conhecida como a maior igreja inacabada do mundo e cujo término está previsto para 2026. Não deixe de reservar um ingresso para que você possa entrar e ficar de boca aberta com as cúpulas e com os vitrais de arco-íris.

Park Güell

parque_guell_barcelona_europa_espanha

O Park Güell quase uma paisagem de faz-de-conta: abriga o famoso lagarto de mosaicos de Barcelona – a imagem de milhares de cartões postais – além de torres em espiral que parecem os tobogãs dos parques de diversões. O grandioso parque da cidade começou como uma colaboração entre o empreendedor Eusebi Güell (daí o nome do parque) e Antoni Gaudí.

Casa Batlló

casa_batllo_barcelona_espanha_europa

É fácil entender por que a Casa Batlló é comparada a Water Lilies de Claude Monet: coberta de vitrais coloridos, às vezes parece azul, às vezes verde e as vezes reluzente como a superfície de um lago. O industrial Josep Batlló encarregou a Gaudí o projeto desta casa depois de ver o que Gaudí havia feito com o Parque Güell. Influenciada pela natureza, a Casa Batlló não tem linhas retas (porque não existem na natureza, como disse Gaudí), pilares de pedra que se contorcem como ossos de animais, e uma alta, azul-oceano escadaria que é muito ao estilo Júlio Verne. O resultado é grandioso e íntimo.

Casa Calvet

casa_calvet_barcelona_espanha_europa

Construída em 1899, a Casa Calvet foi uma das primeiras obras de Gaudí e, com varandas delineadas com grades de ferro, um teto curvo e vitrais adornados com folhas pintadas, é considera uma das suas obras mais minimalistas. Este “minimalismo”, dizem, é fruto das exigências conservadoras de seu chefe, e não de uma falta de inspiração artística. Foi construída para ser escritório e residência do fabricante têxtil Pere Màrtir Calvet. Na cas podemos encontrar algumas referências ao seu proprietário como uma ‘C’ (de Calvet) situado sobre a porta, além de bustos dos santos patronos da cidade natal de Calvet.

Casa Vicens

casa_vicens_barcelona_espanha_europa

Construída na década de 1880 como uma casa de veraneio para o corretor Manel Vicens, a Casa Vicens foi a primeira grande construção projetada por Gaudí e que serviu de prelúdio de todas as suas obras arquitetônicas posteriores. Esqueça o Gaudí que você conhece, este é o Gaudí na sua fase orientalista. Imagine um palácio mourisco fundido com um cubo de Rubik: é uma loucura. Qualquer pessoa que seja fã de azulejos ou design maximalista irá adorar as palmeiras orientais, paredes cor-de-rosa, azulejos enfeitados com flores e pássaros voando. Acrescente um terraço de terracota, algumas cúpulas rebuscadas e alguns elementos forjados co ferro ao mais puro estilo Gaudí. De repente, você se pergunta:  – Como é possível que tudo isso combine e esteja em harmonia? Porque, simplesmente (e estranhamente), essa mágica acontece.

Colònia Güell

colonia_guell_barcelona_espanha_europa

Como o Parque Güell, a Colônia Güell foi um dos projetos encarregados a Gaudí pelo industrial Eusebi Güell – desta vez, com o intuito de construir uma colônia. Güell dirigiu-se a Santa Coloma de Cervelló, 20 km a sudoeste de Barcelona, e contratou uma equipe de arquitetos para criar moradias, uma escola, lojas e uma igreja. Gaudí chegou a completar a nave inferior quando os Güells cortaram o financiamento para a obra. O que resta: – a Cripta, agora Patrimônio Mundial da UNESCO – considerada o exemplo mais perfeito da engenharia mágica de Gaudí canalizada em um só lugar. Poderá ver pilares, vitrais e outros elementos criados com muita inspiração vinda da natureza.

Els 4 Gats

els_4_gats_barcelona_espanha_europa

O Els 4 Gats ocupa parte da Casa Martí, uma estrutura projetada por Josep Puig i Cadafalch, um dos rivais modernistas de Gaudí. Concebido como um equivalente espanhol ao cabaré Le Chat Noir de Paris, o objetivo do local era servir de restaurante com comida barata e piano-bar. Não demorou muito para que os boêmios de Barcelona encontrassem o encanto do local. O próprio Gaudí frequentava habitualmente o estabelecimento. Foi também no Els 4 Gats onde um jovem de 17 anos, Picasso, realizou sua primeira exposição. O interior parece uma cápsula do tempo: há retratos em preto e branco dos artistas e habituais frequentadores, esboços de Picasso e coleções vintage nas paredes.

Casa Milà

casa_mila_la_pedrera_barcelona_espanha_europa

A fachada cor de areia da Casa Milà – construída como apartamentos e agora abrigando alguns escritórios – em parte, esse edifício representa um grande avanço e o reflexo da plenitude artística do  arquiteto. A área aberta ao público inclui um majestoso pátio interno, o terraço e o Espai Gaudí, um sótão onde estão expostos modelos e plantas dos edifícios de Gaudí.

Panots (Ladrilhos)

panots_gaudi_barcelona_espanha_europa

Em Barcelona, caminhe um ou dois quarteirões e você perceberá que os ladrilhos das calçadas (chamados de panot) são muito originais e variados. Os proprietários de imóveis costumavam pavimentar a rua em frente à sua casa até 1907, quando a cidade de Barcelona se encarregou deste trabalho. A empresa Escofet foi a ganhadora do concurso realizado pela prefeitura da cidade para prover os ladrilhos e contou com grandes contribuições dos arquitetos Domènech i Montaner, Puig i Cadafalch e Gaudí. Para encontrar o Panot de Gaudí, dirija-se ao Passeig de Gràcia. É um ladrilho hexagonal que, de longe, se assemelha a concha fossilizada na carapaça de uma tartaruga.

Portal Miralles

portal_miralles_barcelona_espanha_europa.jpg

O portal Miralles é a obra de Gaudí menos falada em Barcelona. Foi encomendado pelo industrial Hermenegildo Miralles a Gaudí quem criou um muro ao estilo da Art Nouveau com curvas semelhante aos movimento de uma serpente. Atualmente resta apenas parte do muro, uma porta e a entrada principal onde encontramos uma estátua de ferro em tamanho natural de Gaudí.

Jardins de Rubió i Lluch

jardins_rubio_i_lluch_barcelona_espanha_europa

Atravesse o famoso mercado La Boquería, caminhe por 4 minutos pelas ruas que estão na sua traseira e você encontrará este tranquilo jardim localizado no pátio do antigo Hospital de la Santa Creu y la Casa de la Convalescència. O jardim é muito usado por estudantes, trabalhadores, residentes e como ponto de leitura. Também pode-se tomar um café cafeteria do local. O início da noite é particularmente especial, quando as luzes são acesas e uma luz suave e quente ilumina o local.

Cascada Monumental

cascata_monumental_barcelona_espanha_europa

Escondida no interior do Parc de la Ciutadella há uma cascata projetada por Gaudí. Quando era estudante, projetou o tanque de água e o sistema hidráulico para uma grande fonte chamada Cascada Monumental, sob os auspícios do artesão Josep Fontserè, que colaborou com mais de 10 artistas catalães para criar uma exibição energética jorros de água e esculturas de pedra de conchas e dragões. O verdadeiro foco das atenções é uma escultura de dourada de Aurora (que representa o amanhecer na mitologia romana) montando quatro cavalos. O Parc de la Ciutadella é um dos locais mais relaxantes e pitorescos da cidade. Além disso, é grátis.

Gaudí Experiència

gaudi_experiencia_barcelona_espanha_europa

Com as palavras “Gaudí 4D” estampadas na porta, esse espaço moderno – parte museu, parte cinema – dá vida a Gaudí, principal atração é o filme. Sente-se num dos assento do simulador, vista o par de óculos 3D e prepare-se para um passeio de montanha-russa de 15 minutos no universo de Gaudí. Você verá uma floresta se transformar em colunas de pedra (uma clara referência à Sagrada Família) e um telhado se transforma em pele de dragão (referência à Casa Batlló) – averigúe mais sobre esses pontos de referência antes de ir ver os trabalhos de Gaudí, para que, quandoos encontrar, saber um pouco mais o que ele estava pensando.